O ‘Movimento cada vida importa: a universidade na prevenção e enfrentamento a violência no Ceará’, reúne mais de 30 laboratórios, grupos de pesquisa e projetos de extensão.

Universidades do Ceará se mobilizam contra homicídios de jovens no estado (Foto: TVM)

Universidades do Ceará se mobilizam contra homicídios de jovens no estado

Os homicídios de jovens no Ceará vão ser pauta principal nas universidades do estado desta segunda-feira (26) até a quarta-feira (28), no início do semestre 2018.1. Uma frente de mobilização envolvendo professores e pesquisadores de diferentes universidades está promovendo um conjunto de atividades para sensibilizar a comunidade acadêmica contra o extermínio da população jovem, negra e pobre das periferias de Fortaleza e em outras regiões do Ceará.

Pesquisa divulgada em 2017 pela Unicef, agência da Organização das Nações Unidas (ONU), aponta que o Ceará é o estado que mais mata adolescentes em todo o Brasil. O número de adolescentes mortos no Ceará em proporção à população é quase 10 vezes maior que o do estado que aparece com o índice mais baixo, Santa Catarina, com 0,93.

Ceará tem o maior índice de assassinato de adolescentes (Foto: Unicef/Reprodução)Ceará tem o maior índice de assassinato de adolescentes (Foto: Unicef/Reprodução)

Ceará tem o maior índice de assassinato de adolescentes (Foto: Unicef/Reprodução)

Daniele Negreiros, psicóloga e técnica do Comitê Cearense pela Prevenção de Homicídios na Adolescência (CCPHA), uma das entidades que apoia a mobilização, diz que a proposta é trazer para o cotidiano da universidade ações que impactem na prevenção a todas as formas de violência.

“As universidades começam a se unir e pensar como trazer isso [o tema] de forma mais concreta pro dia a dia, reunir ações e trazer mais materialidade e mais sensibilidade a essas situações que a gente vive”, comenta.