Rodeio em Baturité foi suspenso. Organizador diz que imagens de crianças foram gravadas em outro local e nega que houve maus-tratos a animais. Segundo ele, animais ‘foram treinados’ para passar por situação de rodeios.


A Delegacia Regional de Canindé analisa as imagens de maus-tratos a animais durante um evento realizado no Centro da cidade de Baturité, no interior no Ceará, no último domingo (6). Após denúncias de moradores, o evento foi suspenso e surgiram outros vídeos, com crianças correndo nuas durante uma brincadeira no mesmo rodeio, realizado há algumas semanas na zona rural da cidade.
O organizador do evento, Alexandre Freitas Martins, dono da Baladeira Eventos, confirma que as imagens dos animais ocorreram no rodeio feito por ele, mas nega os maus-tratos e afirma que as gravações com as crianças nuas não foram realizadas nas apresentações dos eventos produzidos por ele.
Conforme o delegado Jailton Rodrigues, a polícia já tinha conhecimento dos vídeos que mostram as pessoas tentando derrubar os animais durante o rodeio e agora também vai apurar as imagens das crianças. Além disso, Alexandre Farias será ouvido nesta quinta-feira (10).

“Instauramos o procedimento investigativo, oficiamos os órgãos de controle para ver as licenças, o pessoal da Adagri [Agência de Defesa Agropecuária do Ceará] foi ver os animais, para constatar se houve algum tipo de maus-tratos. Ele já apresentou algumas licenças que estão ok, mas a investigação continua”, disse o delegado Jailton Rodrigues.

Segundo Alexandre Freitas Martins, o vídeo das crianças é antigo e, além de não ter sido em um evento dele, não foi em Baturité.

“Esse vídeo é antigo, não é aqui em Baturité. Não existe só um rodeio, dois ou três aqui no Ceará. Estão caçando vídeos de 2010, 2012 e estão prejudicando meu nome. Todos os vídeos estão caindo em cima de mim”, disse o organizador. A polícia afirma que analisa o conteúdo.

Sobre os animais que aparecem sendo derrubados e usados nas brincadeiras com o público, o homem afirma que os bois e os outros animais são treinados para interagir com a plateia.

“Os animais são todos treinados, próprios para isso, têm alimentação no horário certo, têm medicamento, tudo é com exame, tenho toda a documentação dos animais, tenho tudo, mas estão olhando só um lado da moeda. […] Não é maus-tratos correr atrás e derrubar, se fosse assim vaquejada era maus-tratos. Os animais são treinados. O boi é um garrote treinado para isso, tem a quantidade certa de pessoas para participar e mesmo assim não derrubaram, porque ele é treinado para isso”, disse o organizador.

As imagens enviadas a polícia por moradores da cidade mostra quatro meninos dentro de uma arena, participando de uma brincadeira feita por um palhaço. Em determinado momento, para recolher os objetos, uma das crianças fica sem roupa e as outras fazem o mesmo, para se desprender de uma corda e vencer a disputa.

A cena é assistida por várias pessoas, que gritam e riem da cena. Não informações de quando o vídeo foi gravado, mas denunciantes afirmam que foi no povoado de Candeia, no distrito de São Sebastião, na zona rural da cidade de Baturité.

Já nos vídeos gravado no último domingo, na sede da cidade, bois e jumentos são cercados por um grupo de pessoas, na maioria jovens, que derrubam e imobilizam os animais no chão em uma espécie de arena.

Em vídeos divulgados nas redes sociais, também é possível ver pessoas correndo atrás de um boi. Assustado, o animal tenta se esquivar, mas acaba sendo dominado pelo grupo. As imagens mostram ainda as pessoas puxando a cabeça, o rabo e as pernas do animal até que ele cai e é imobilizado no solo. Muitos chegam a ficar sobre o animal. Nas arquibancadas as pessoas gritam e aplaudem. Em outro vídeo, o alvo do grupo é um jumento que sofre as mesmas agressões.

Além disso, é possível observar que os presentes, tanto na plateia, como na arena, não usam máscaras de proteção contra a Covid-19. Não se sabe se a organização do evento exige comprovante de vacinação para acesso ao local.

A Polícia Civil informou que a Delegacia Regional de Baturité está investigando o caso. Os responsáveis pelo evento já foram identificados e intimados para prestar esclarecimentos. Imagens do evento, compartilhadas nas redes sociais, já estão em posse dos profissionais de segurança.

Nossa página no Instagram
https://instagram.com/quixeramobim_news?igshid=1ar0nbn5ej0k7

Nossa Página no Youtube
https://www.youtube.com/channel/UCWukWdg6Ycj5yHCXSy1GnJg?view_a

Nossa página no Facebook
https://www.facebook.com/quixeramobimnews.com.br/