Uma nova incursão de composições do Comando Tático Rural (Cotar) do Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque) da Polícia Militar do Ceará (PMCE), na cidade de Quixadá, resultou em mais cinco homens presos e farto material apreendido que seria utilizado pelo grupo para atacar instituições financeiras no Estado. A ação policial foi desencadeada, na madrugada do último sábado (17), no município do Sertão Central, localizado na Área Integrada de Segurança 20 (AIS 20). Mais de 20 quilos de material explosivo, além de quatro armas e diversas munições foram apreendidas com os indivíduos. Os presos são suspeitos de integrarem o mesmo grupo que foi preso em ação desencadeada no dia 14 de fevereiro, na mesma região. Até o momento, oito suspeitos do mesmo bando estão presos.

A continuação das diligências iniciadas no dia 14 de fevereiro, na região de Quixadá, levou os agentes de segurança a montarem uma nova ação para capturar o demais integrantes do grupo, que vinha sendo investigado pela Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), da Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE). O bando criminoso é suspeito de realizar ataques a agências bancárias e carros-fortes no Ceará.

Os PMs intensificaram as buscas e, na madrugada do sábado (17 ), uma equipe do Cotar se deparou com um veículo VW Gol, cor branca e placas JKQ 5488 do Distrito Federal. O carro trafegava pela rodovia estadual CE 265, que liga os municípios de Quixadá e Morada Nova, onde os suspeitos foram abordados pela equipe. Dentro do automóvel, foram presos: Bruno da Silva Lourenço (24), sem antecedentes; Marcelo dos Santos Lima (30), vulgo “Marcelo Negão”, com passagens por receptação, tráfico ilícito de drogas, lesão corporal dolosa e homicídio; Michael Lucas Moreira (21), com passagens por violência doméstica e posse de drogas; e Francisco Pedro Henrique Magalhães Martins, vulgo “Pedro das Vacas”, com mandado de prisão em aberto e com passagens por crime de trânsito e dois homicídios. Uma pistola calibre .40 foi encontrada no assoalho do banco traseiro. Todos confirmaram fazer parte do mesmo grupo criminoso do qual três integrantes foram presos em ação realizada pelo Cotar no dia 14 de fevereiro.

Dando sequência às diligências, as composições se deslocaram até um imóvel, onde o grupo armazenava os materiais utilizados nas ações criminosas. Lá, os policiais militares montaram campanha até a chegada de Kertson Fernandes Bezerra de Meneses (30), que estava em um veículo Fiat Strada, cor verde, placas OIF-6493. Após uma revista no veículo, foi encontrado no painel do carro um revólver calibre 38 municiado e outras munições de calibre 38 dentro da bermuda do suspeito. Na propriedade da família dele, na zona rural de Quixadá, foram apreendidas uma submetralhadora calibre .45, uma espingarda calibre 12, 12 cartuchos de cal. 12 e um carregador com 30 cartuchos de cal. .45. Em outro imóvel, desta vez, na localidade de Barra do Sitiá, foram encontrados, enterrados na propriedade, 21,5 kg de emulsão explosiva, cordéis detonantes, assim como dois cartuchos de cal. .40, 144 munições de cal. .45, dois carregadores de cal. 380 e parte de um fuzil cal. 5.56.

Os cinco suspeitos e todo o material apreendido na ação foram levados para a realização de procedimento policial na DRF, em Fortaleza. Os integrantes do grupo criminoso foram autuados em flagrantes pelos crimes de porte e posse ilegal de arma de fogo, munições e explosivos de uso restrito e organização criminosa. A Polícia Civil mantém as investigações para identificar outros integrantes do bando, para localizar mais armas, bem como identificar quais crimes foram cometidos pelo grupo.

Primeira ação 

Uma ação policial, iniciada na noite de quarta-feira (14) e que se estendeu até a manhã de quinta-feira (15), culminou nas prisões de três homens do mesmo grupo criminoso durante operação realizada por policiais do Cotar do BPChoque da Polícia Militar do Ceará (PMCE), em Quixadá. Com o trio, os policiais militares apreenderam dois fuzis calibre 5.56, um fuzil de calibre 7.62 x 39, munições de calibres 5.56 e 7.62 x 39, dois coletes balísticos, uma balaclava e uma grande quantidade de emulsão explosiva e cordéis detonantes. Todo o material seria utilizado pelo grupo para atacar instituições financeiras.

Na ocasião, foram presos José Alberto da Silva Lima (25), Francisco Hebert Melo da Silva (23) e Francisco Willame Macário Hilário Júnior (23). Na mesma ação, um quarto integrante do grupo entrou em confronto com os agentes de segurança e, na troca de tiros, foi lesionado e conduzido a uma unidade de saúde do município. Francisco Alexandre Rabelo Barreto (24) não resistiu aos ferimentos e veio a óbito.